Videos

Por que Reclamar Atinge seu Cérebro Negativamente?

11/01/2017
reclamar

O articulista e cientista da computação Steven Parton publicou um texto no site Curious Apes sobre como o fato de resmungar pode acabar com seu bem-estar e daqueles que o cercam, atingindo diretamente o cérebro dos indivíduos.

Ele explica que a cada pensamento que temos, nosso cérebro é remodelado, alterando a construção física da realidade. Isto porque a ponte que se forma entre as células nervosas (os neurônios) acaba se estreitando ainda mais para a produção daquele pensamento.

“Ao longo de seu cérebro há uma coleção de sinapses separadas por um espaço vazio chamado de fenda sináptica. Sempre que você tem um pensamento, uma sinapse dispara um produto químico através da fenda para outra sinapse, construindo assim uma ponte sobre a qual um sinal elétrico pode atravessar, levando consigo a informação relevante que você está pensando”, detalha.

Sinapses

“Toda vez que essa carga elétrica é acionada, as sinapses diminuem a distância que a carga elétrica tem que atravessar. Portanto, o cérebro é religado em seu próprio circuito, e se altera fisicamente para tornar mais fácil a realização das sinapses adequadas – e isto faz com que o pensamento, em essência, seja mais facilmente disparado”.

Aliado a essa capacidade cerebral, está o fato de que as sinapses que você tem mais fortalecidas definem sua personalidade. No fim das contas: aquele pensamento que se repete mais dentro da sua cabeça reforça as pontes dentro da rede dos seus neurônios.

“Através da repetição do pensamento, você aproxima cada vez mais o par de sinapses que representa suas inclinações, e quando surgir o momento oportuno para que você possa formar um pensamento, o pensamento que ganha é aquele que tem menos distância para viajar”.

Isto quer dizer que, quanto mais você reclamar, mais reforçará o jeito “reclamão” de seu cérebro.

Aceitação x desgosto

Steven aponta outro fator que faz com que os resmungos, por vezes, destruam nosso cérebro: a dualidade entre a aceitação e o desgosto, o amor e o medo, o otimismo e o pessimismo. Em uma experiência pessoal, o autor resolveu seguir, frente a situações boas e ruins, o preceito de “agradecer pela experiência e pela lição”.

“A natureza aprecia caos, e nosso cérebro não é diferente. E por isso é importante salientar que esta, obviamente, não é uma prática à prova de idiotas que irá erradicar completamente a negatividade de sua consciência; por vezes, a emoção pega muito pesado e o par de sinapses que chama a carga química será o negativo”, relata.

“Mas, como qualquer músculo, se você exercer essas sinapses ‘amorosas’, você vai encontrar uma nova força inata que fará o mundo brilhar com muito mais frequência. Você também vai se perceber muito mais feliz por causa de seu bem-estar”.

Quando você ouve muito blá-blá-blá negativo, seu cérebro se relaciona com a outra pessoa em virtude dos “neurônios-espelho”.

Nesta experiência, a empatia com o outro faz com que tentemos sentir a emoção que ele está sentindo – e aí, você literalmente, “troca energias negativas” com seu interlocutor. — Fonte: Vix

Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. – 1 Tessalonicenses 5:18

Assista: ARCO-ÍRIS UNICÓRNIOS E POKEMONS

Você pode gostar também

2 Comentários

  • Yasmin Oliveira 11/01/2017 em 8:41 PM

    Lindo demais o texto! Principalmente a parte dele em que você ligou o estudo com esse mandamento que Paulo escreveu através do Espírito Santo de Deus que temos esquecido muito de praticar.

  • Deixe uma Resposta