Cosmovisão Vida Cristã

Razão – O deus deste Século

21/11/2016
razaosec

A ignorância leva o homem a aderir de forma sincera aquilo que ele acredita ser verdadeiro, porém, ele ainda encontra-se na mentira por mais que apresente surpreendente habilidade racional. A Razão passou a ser vista pelo homem como a principal fonte de libertação, como se as correntes da ignorância humana fossem removidas pela Razão, mas, é só mais uma mentira, pois: ‘‘O temor do SENHOR é a chave da sabedoria e conhecer a Divindade é alcançar o pleno sentido do conhecimento!” (Provérbios 9:10) – Aceitar que o homem pode ser liberto pela própria Razão, é negar o princípio de que: Cristo é a Verdade que liberta: “Se permanecerdes na minha Palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos. E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8:31b – 32)

A hostilidade do homem para com Deus é a condição natural do ser humano caído, e, consequentemente o afasta da Verdade, que é Cristo, o próprio Deus encarnado. O pecado acomoda o espirito/razão humana aos sistemas deste mundo, e, segundo o Apóstolo Paulo é preciso que “sejamos transformados pela renovação das nossas mentes, pois só assim podemos experimentar qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”, ele diz que o cristão deve apresentar diariamente o seu corpo como um sacrifício vivo, santo, e agradável a Deus, e, chama isso de ”culto racional” (Romanos 12:1,2). Ou seja, há a necessidade do homem submeter-se em serviço racional a Verdade, submeter o corpo e sua própria razão a Deus como sacrifício diário.

“Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto. Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.” 2 Coríntios 4:3,4

Ou o homem teme a Deus, crê que é Dele que vem toda a sabedoria, é Ele a Verdade, e, baseia-se em Seus princípios para moldar sua razão, ou, ele irá adotar os sistemas deste mundo como base, e, comprometerá seu espírito fazendo da razão humana, o seu deus.

“A mente do homem é como um depósito de idolatria e superstição; de modo que, se o homem confiar em sua própria mente, é certo que ele abandonará a Deus e inventará um ídolo, segundo sua própria razão. A Escritura tem uma esplêndida precisão e uma certeza que supera todos os filósofos.” João Calvino

Você pode gostar também

Sem comentários

Deixe uma Resposta