Feminismo

FOME – ESCRAVIDÃO SEXUAL – Seita Feminista Jness

18/06/2020
inbound3043612361825341866

Seita sexual da atriz Allison Mack prometeu à uma atriz que ela seria a Mulher-Maravilha

inbound5493115870361525508

Allison Mack, a atriz de Smallville envolvida no recrutamento da seita NXIVM, teria dito a uma jovem recrutada pelo grupo (identificada apenas como Nicole) que ela poderia interpretar a Mulher-Maravilha no futuro.

Segundo uma reportagem do site PageSix, Mack se aproximou de Nicole em fevereiro de 2016, quando a jovem estava passando por um depressão profunda. A atriz aproveitou o estado fragilizado da garota para recrutá-la para o NXIVM.

Para ganhar a confiança da jovem, Allison Mack teria prometido que Nicole poderia interpretar a Mulher-Maravilha em algum projeto futuro.

“Eu queria ser como a Mulher-Maravilha, queria interpretar esse papel. Na época, eu realmente procurava algo para depositar minhas esperanças”, afirmou Nicole.

Assim que a garota ingressou na seita, ela teria se tornado a escrava pessoal de Mack. A jovem teria sido marcada com ferro quente, passado fome e abusada sexualmente.

No seu testemunho, Nicole contou sobre uma ocasião em que foi amarrada e estuprada por membros do grupo. Mack também a teria chantageado em várias ocasiões.

Allison Mack se declarou culpada em acusações de conspiração, extorsão e exploração de trabalho escravo. Keith Raniere, o fundador da seita, ainda está respondendo por acusações de tráfico de pessoas e abuso sexual.

Em Smallville, Allison Mack interpretou Chloe Sullivan.

Um breve histórico do culto bizarro liderado por uma atriz de ‘Smallville’

Allison Mack recrutava mulheres para serem escravas sexuais

Parece a premissa de um episódio de uma série policial, mas não é: uma atriz de televisão passou anos ajudando uma seita a recrutar mulheres para serem escravas sexuais. Trata-se de Allison Mack, a Chloe da série Smallville (2001-2011), cujo envolvimento com a organização NXIVM a levou a ser presa e processada nos Estados Unidos.

No momento da publicação desta matéria, Mack havia sido solta após sua família pagar uma pensão de US$ 5 milhões. A atriz é considerada a mão direita do líder do culto, Keith Raniere, que já foi preso pelo FBI. Segundo o serviço de inteligência, a artista era responsável por recrutar as mulheres que seriam abusadas de acordo com a vontade e gostos de Raniere.

Segundo o site da organização, a NXIVM é uma “comunidade guiada por princípios humanitários que buscam empoderar as pessoas e responder às importantes perguntas relacionadas ao que significa ser humano”. Não fica claro pelo texto qual é exatamente a causa ou os objetivos do movimento, só que ele pretende alcançá-los por meio de palestras sobre assuntos como ética e teoria de gênero.

Acontece que, para cada tema há uma sugestão de empresa relacionada à NXIVM que o contratante deveria buscar. No caso dos conteúdos relacionados a gênero e feminismo, uma das opções é a Jness, que afirma ter como propósito “empoderar as mulheres do mundo”. “Para mim, a Jness é sobre amizade e conhecer a mim mesma e o valor que eu trago para o meio ambiente para construir relações mais fortes, empáticas e honestas”, diz o depoimento de uma suposta cliente da companhia, Veronica Collington.

Essa era a fachada utilizada por Allison Mack e outras discípulas de Raniere para recrutar mulheres para serem escravas sexuais de líderes do culto. Após um período trabalhando com a NXIVM e suas afiliadas, as mulheres eram chamadas para participar de uma “irmandade” chamada DOS.

Para as novas recrutas, a tal sociedade era descrita como uma irmandade na qual as mulheres apoiariam umas às outras compilando uma força que poderia ter grande influência, chegando a impactar até os resultados de eleições. Para conseguir fazer parte do culto, as novatas tinham que superar características consideradas por Raniere as principais fraquezas do sexo feminino, como a insegurança, o vitimismo e a “natureza” emocional demais.

As recrutas eram ensinadas a usar a sumissão e a obediência como ferramentas para se empoderarem. A partir disso, a irmandade a dividia em grupos de seis mulheres lideradas por um “mestre” que as treinaria. Durante esse processo, elas tinham que enviar mensagens diárias de bom dia e boa noite para o mestre e mostrar disponibilidade para responder outros recados o mais rápido possível, senão seriam punidas fisicamente.

Na cerimônia que oficializava a participação das calouras no grupo, as mulheres eram conduzidas com os olhos vendados até um local secreto e recebiam marcas físicas para simbolizar o compromisso. Em relato à Vice, a ex-participante da organização, Sarah Edmondson, afirmou que ela e suas colegas achavam que receberiam uma tatuagem em vez de um grande machucado.

A partir dai, os relatos das ex-participantes diferem, mas mostram uma série de abusos: algumas foram forçadas a trabalhar sem parar para Raniere, outras a ficarem praticamente sem comer até ficarem magras da forma como o “chefe” gostaria. “Allison Mack recrutava mulheres para participar de um grupo que parecia ser de mentoria feminina, mas na verdade era criado e liderado por Keith Raniere”, diz a sentença do promotor Richard P. Donoghue. “As vítimas então eram exploradas sexualmente.”

A investigação em torno de Mack e Raniere, no entanto, não acabou com a organização. “Em resposta às acusações contra nosso fundador, Keith Raniere: estamos trabalhando em conjunto com as autoridades para provar a inocência e caráter dele. Acreditamos que o sistema de justiça irá trazer a luz à verdade”, diz nota oficial do culto. “Estamos tristes com os relatos disseminados pela mídia e a desconsideração pelo ‘inocente até que se prove o contrário’, ainda assim continuaremos a honrar os mesmos princípios por meio dos quais nossa empresa foi fundada.”

Allison Mack tentou cooptar Emma Watson para a seita do sexo

A atriz Allison Mack, a Chloe da série Smallvilleé acusada de exploração sexual por ser uma das líderes de um grupo religioso americano intitulado NXIVM. Um dos papéis da atriz dentro da seita era cooptar novas garotas, que serviam como parceiras sexuais para o líder, Keith Raniere. Tuítes antigos de Allison sugerem que ela tentou atrair até Emma Watson para o grupo.

“Emma Watson, sou uma atriz como você e estou envolvida em um maravilhoso movimento de mulheres que acho que você vai curtir. Adoraria conversar com você, se estiver aberta”, escreveu Allison no Twitter em janeiro de 2016.

Em fevereiro do mesmo ano, a atriz tentou novo contato: “Participo de um movimento de mulheres e desenvolvimento humano único que adoraria apresentar a você. Como uma colega de profissão, me identifico muito com a sua visão e com o que você quer para o mundo. Acho que poderíamos trabalhar juntas. Me avise se estiver disposta a conversar”, escreveu na rede social. A atriz de Harry Potter não respondeu a nenhuma das mensagens publicamente.

inbound4256265908280927061

________________

A minha pergunta é, diante de abordagens públicas, envolvimento de várias atrizes, será que essa seita era um assunto desconhecido nos bastidores da fama? Fica a dúvida. Na prática, como costumo dizer, dificilmente uma feminista vai se importar mais com exploração sexual e tráfico de mulheres do que com seu próprio triunfo. Pela ânsia de empoderar-se, vale até escravizar e explorar outras mulheres. Tudo com muita sororidade, claro!

O feminismo é a religião do Ego.

O curioso é que não vi nenhum coletivo falando ou protestando contra essa seita, que inclusive, continua ativa alegando inocência.

Não canso de repetir a minha frase: a realidade é o melhor argumento contra o ativismo cego.


fonte:

GALILEU

OBSERVATÓRIO CINEMA

 VEJA

Você pode gostar também

Política de Privacidade — Garantir a confidencialidade dos dados pessoais dos usuários é de alta importância para nós, todas as informações pessoais relativas a membros, assinantes, clientes ou visitantes que utilizam nossos sistemas serão tratadas em concordância com a Lei da Proteção de Dados Pessoais de 26 de Outubro de 1998 (Lei n.º 67/98). As informações pessoais recolhidas podem incluir nome, e-mail, telefone, endereço, data de nascimento e/ou outros. O uso de nossos sistemas pressupõe a aceitação deste Acordo de Privacidade. Reservamos o direito de alterar este acordo sem aviso prévio, por isso recomendamos que você verifique nossa política de privacidade regularmente para manter-se atualizado(a). Anúncios — Assim como outros sites, coletamos e utilizamos informações contidas em anúncios, como seu endereço de IP (Internet Protocol), seu ISP (Internet Service Provider), o navegador utilizado nas visitas a nossos sites (Chrome/Safari/Firefox), o tempo de visita e quais páginas foram visitadas. Sites de Clientes — Possuímos ligação direta com os sites de nossos clientes, os quais podem conter informações/ferramentas úteis para seus visitantes. Nossa política de privacidade não se aplica a sites de clientes, caso visite outro site a partir do nosso, deverá ler sua própria politica de privacidade. Não nos responsabilizamos pela política de privacidade ou conteúdo presente nesses sites. Para maiores informações, entre em contato conosco.


Sites profissionais com tudo incluso
Vaucci.com · Suporte · Telefone · WhatsApp Assine