Feminismo

As Pílulas de Glitter: Youtuber Foi Assediada E Disse Obrigada?

23/12/2016
suicide-831491_1280

A internet está fervendo com a conversa fiada do momento. A repórter do Warner Channel e youtuber Carol Moreira alega ter sido assediada pelo ator Vin Diesel durante entrevista. Mas, a única coisa que fica nítida no vídeo é que ali estava um homem completamente de saco cheio que resolveu melar aquela lenga, lenga chata e superficial, elogiando educadamente uma moça feia. — Pelo amor de Deus, o cara disse que ela era bonita e a convidou para almoçar!


Assédio acontece quando uma pessoa em posição hierárquica superior constrange sexualmente um subordinado. Na relação jornalística, o repórter nem exerce poder sobre o entrevistado, nem é subordinado a ele. É uma interação livre. Ou seja, a youtuber tinha total liberdade para encerrar a entrevista ou mesmo repreender o ator a qualquer momento caso quisesse, mas, todos vimos que isso não ocorreu. — Vale lembrar que Carol ao entrevistar Jason Mamoa, sentou-se no colo do ator e, ao receber um ”strep-tiese” disse com todas as letras que aquele era o melhor dia de sua vida, não que eu ache que por isso, acaso ela tivesse de fato sofrido assédio, não tivesse o direito de denunciar, mas, todos vimos que na entrevista com Vin Diesel não ocorreu assédio algum, e, que tudo não passa de mimimi (pra variar). Além do que, dá pra ter uma noção da falta de bom senso e lógica da guria, né? Oras, um homem pedir para que a moça se sente em seu colo e lhe fazer um ”strep-tiese” para ela é super legal, o melhor dia de sua vida, mas, se um cara disser: Meu Deus! Como ela é bonita. Vamos almoçar hoje? — é usado pelo demônio, um tarado do mal com tesão do inferno que quer destruir as mulheres do planeta!

As pílulas de glitter que o feminismo está dando para essa meninada está transformando o mundo em um labirinto do terror! Elas estão cada dia mais paranoicas. É uma esquizofrenia coletiva que não tem fim.

Embora a imprensa feminista não pare de repetir que o Vin Diesel “assediou” a tal youtuber, fica nítido que mesmo tendo a opção de ter encerrado a entrevista como resposta ao que supostamente a incomodou, a moça ri como umavin2-copia hiena e compulsivamente responde: OBRIGADA! — Não há um único sinal de que Carol tenha sofrido coerção sexual, ação que caracterizaria assédio. Não há inclusive sequer sinal de que a moça estivesse em algum momento se sentindo ofendida! — A impressão que dá é que ela realmente acreditou que o Vin Diesel a achou bonita, creio que ela não percebeu que o ator, talvez até estivesse bêbado (dopado ou drogado), estava tentando acabar com mais uma entrevistinha de quinta sem graça. Sem contar que logo após essa entrevista, a moça postou uma foto em que ela aparece bem sorridente enquanto recebe um beijo do ator, no mínimo estranho vindo de alguém que se diz constrangida e assediada pelo cara. Isso torna essa conversa de que ela se sentiu desconfortável, ainda mais controversa.

A youtuber tem todo direito de não gostar dos elogios que recebe, mas, transformar essa situação em assédio é completamente ridículo e irresponsável, só prova que ela é totalmente alienada, vive em um mundo paralelo e anda preocupando-se demais com seu próprio umbigo. — Menina, por favor, pare de tomar essas pílulas!

Esse mimimi das feministas serve APENAS para mascarar o que REALMENTE é um assédio. Ficar ofendidinha com um elogio masculino à sua beleza, é deveras frescura. Classificar qualquer cantadinha de bêbado como assédio, acaba tirando o crédito da denuncia séria, tornando a figura da mulher desacreditada. Esse é mais um desserviço feminista do ano de 2016.

É só pra isso que serve o feminismo.


Você pode gostar também

8 Comentários

  • Saulo 12/05/2017 em 7:56 PM

    Bacana.

  • Rhayssa 26/12/2016 em 7:22 PM

    Gostei mt do texto , e tb de outros textos seus que li . Mas , tb não gostei de vc ter chamdo ela de feia ( achei infantilidade e mentira , pq ela é linda ) ( mas isso não vem ao caso ) . Concordo c vc , de que nao achei em nenhum momento que houve assédio mas , não estava la para saber . E, ao contrário do comentário deixado por uma mocinha no texto , é generalizar mt dizer que TDS as denúncias sobre agressão sexual , ofensa ou abuso sexual é desacreditado . Acho que tds acompanharam ou ao mínimo ficaram sabendo do caso recente da menina que foi abusada por vários homens depois de uma festa ( o caso virou mundialmente conhecido ) acho q isso já mostra que tem bastante gente do bem interessado nesse assunto ( interesse n só pq o caso ficou mt conhecido) , mas a comoção que gerou. Ha casos em que acontece o abuso , porém ha casos em que somente popularizam o assunto para que haja um determinado conhecimento de causa . Nao afirmo que seja , porém no meio de tanto mi mi mi , pode ser apenas uma jogada de marketing para o lançamento do novo filme dele .

    • Cris Corrêa 27/12/2016 em 12:39 AM

      Ué, é infantil achar uma mulher feia, por que? Não entendi!

      Na entrevista que o ator publicou em sua fanpage, sem cortes, na íntegra, a moça até aceita o convite para almoçar, mesmo que ele estivesse nitidamente brincando. Pra mim, ficou claro no vídeo que ela estava levando na brincadeira, mas, depois parece que ela levou a sério e passou a dizer que não gostou.

      A mulher (ou o homem) pode considerar inconveniente uma cantadinha de bêbado ou de um otário qualquer e, se quiser fazer até alarde, que faça. A questão é que assédio e inconveniência são coisas distintas, confundir as duas coisas prejudica a verdadeira vítima do assédio quando ele ocorre, porque ocorre.

      Ps: Lembrando que assédio é coerção sexual exercida por alguém que está em posição superior e constrange sexualmente seu subordinado.

      Uma cantada boba que NÃO TEM CONOTAÇÃO SEXUAL, é uma inconveniência, até mesmo porque a mulher (ou o homem) que recebe essa cantada pode revidar livremente. Não há coerção. Beijos

  • lde-20161223-all | News Archive 24/12/2016 em 9:21 PM

    […] As Pílulas de Glitter: Youtuber Foi Assediada E Disse Obrigada? – Cris Corrêa […]

  • Ana Paula 24/12/2016 em 12:48 PM

    Cris, te acompanho há algum tempo, porém nunca comentei. Geralmente concordo com você, mas dessa vez irei discordar. No vídeo se vê claramente que a repórter ficou incomodada com a situação, no primeiro elogio ela agradeceu e ficou feliz com o elogio, mas no transcorrer da entrevista percebe-se que ela ficou constrangida e tentava voltar para o assunto principal da entrevista e o fato de ela continuar dizendo “obrigada” e sorrindo não mascara o desconforto dela com a insistência do Vin Diesel. Quanto ao fato dela não ter encerrado a entrevista, apontado por você como uma prova de que ela não sofreu assédio, será que ela realmente poderia ter tomado esta atitude ou ficou naquela situação incômoda (tentando a todo momento voltar para a entrevista) tentando manter o profissionalismo para não ser prejudicado em sua profissão futuramente? Quantas pessoas (homens e mulheres) diariamente engolem sapos para manter o emprego?
    Quanto ao ator Vin Diesel, essas entrevistas de divulgação são parte de seu trabalho e por mais que deva ser um saco ficar sempre respondendo as mesmas perguntas, a atitude dele foi extremamente desnecessária, antiprofissional e, porque não, de uma babaquice sem tamanho.
    Acho que você fica tão preocupada em desmascarar o movimento feminista (várias vezes com razão) que acaba caindo em outro extremo e só para marcar sua posição contrária defende coisas sem fundamentos e utilizando argumentos fracos.
    Parabéns pelo blog e admiro muito sua força e coragem em defender seus valores!! Feliz Natal!!

    • Cris Corrêa 27/12/2016 em 12:45 AM

      Eu vi o vídeo na íntegra sem cortes publicado pelo próprio ator e não vi constrangimento, a entrevista não foi interrompida pelos elogios e sim foram feitas em tom de brincadeira em momentos específicos, algo bem descontraído.

      A mulher (ou o homem) pode considerar inconveniente uma cantadinha de bêbado ou de um otário qualquer e, se quiser fazer alarde, que faça. A questão é que assédio e inconveniência são coisas distintas, confundir as duas coisas prejudica a verdadeira vitima do assedio quando ele ocorre, porque ocorre. Mas assédio e inconveniência são coisas distintas. Assédio é um crime punível, inconveniência é uma atitude idiota, só.

      Ps: Lembrando que assédio é coerção sexual exercida por alguém que está em posição superior e constrange sexualmente seu subordinado.

      Uma cantada boba que não tem conotação sexual (como a do caso), é no máximo uma inconveniência, até mesmo porque a mulher (ou o homem) que recebe essa cantada pode revidar livremente. Não há coerção. Beijos

  • Ananda 23/12/2016 em 11:33 PM

    Olá, querida. Tudo bem? Não sei se você chegou a assistir a entrevista da qual você está comentando mas é importante contextualizar. A Carol estava trabalhando, portanto tinha que acabar a entrevista mesmo que estivesse se sentindo constrangida. Ela foi profissional. Em momento nenhum ela disse que foi assediada apenas avisou aos seus seguidores que em alguns momentos da entrevista ela estava agindo estranho por causa do comportamento do Vin Diesel que interrompeu a entrevista 3 vezes para “elogiá-la”. Ela tentou retomar a entrevista mas ele ignorou, como muitos homens fazem quando percebem que a mulher está constrangida com alguma atitude descabida dele. Ele simplesmente não se importou e continuou com o mesmo comportamento. Por fim quero te lembrar que o ator é um astro de Hollywood e ela uma repórter. Obviamente há uma posição hierárquica aí. Vou deixar você tentar adivinhar sozinha qual é. No mais é muito desrespeitoso chamar uma mulher de feia. Recomendo deixar essa infantilidade de lado. Quero te lembrar também que qualquer denúncia de mulher sobre assédio é desacredita. Você pode fazer uma listinha com todos os requisitos de um “verdadeiro assédio”. Ainda vai ter muita gente relativizando, inclusive em delegacias. É claro que todas essas pessoas tem o pensamento muito parecido com o seu. Apesar de você se achar diferente das feministas você é mulher e será tratada com o mesmo descaso. Boas festas.

    • Cris Corrêa 27/12/2016 em 12:41 AM

      Eu assisti. Inclusive sem cortes, onde ela além de aceitar o convite para almoçar, agradece os elogios. Por isso, continuo com a mesma opinião. Assédio ocorre dentro de um contexto de opressão sem que exista possibilidade de revide ou mesmo de interrupção e, quando há coerção sexual. O Vin Diesel não fez coerção sexual, ele fez elogio sobre a beleza da moça e a CONVIDOU para almoçar, o fato dele tê-la constrangido (ainda que não tenha ficado nítido, principalmente pela foto bem íntima após a entrevista), jamais se configura como assédio, o que ele fez pode ser considerado no máximo como algo inconveniente. Agora, assédio? Super forçar a barra. Beijos, Feliz Natal!

    Deixe uma Resposta